Um dia das mães



A Vanessa, do blog Fio de Ariadne, propôs uma blogagem coletiva para homenagear "àquela que deu início à confusão": nossas mães, claro.

Acho justo contar como começou o dia das mães da minha mãe, a Maria de Fátima, ou Teca, como todos a conhecem, e creio que este está passando longe de ser um dia das mães perfeito.

Tudo começou pouco mais da meia noite, quando senti que a gripe que tive semana passada, e que me parecia curada, estava voltando com força total. Com o peito pesado (quem tem bronquite asmática sabe bem do que estou falando) fui deitar bem mais cedo que de costume para um sábado, bem agasalhado e com a esperança de que estaria bem hoje de manhã.

Mas que nada. Lá pelas três da madrugada acordei assustado, com a cabeça doendo muito e o peito pesado ainda mais pesado. No mesmo instante tive uma certeza: era falta de ar. Acordei meu irmão que acordou minha mãe, então se iniciou a rotina de quem tem filho com bronquite: procurar atendimento médico o mais rápido possível, fazendo massagem nas costas dele para que respire melhor.

Morar numa cidade de interior com menos de 3 mil habitantes tem suas (algumas vezes muitas) desvantagens, como a falta de pronto socorro. O mais próximo fica a 60 km, em Presidente Prudente. Minha mãe quis ligar para chamar uma ambulância, insisti que não estava tão ruim assim, bastava tomar a medicação na farmácia que ia melhorar. Ela, claro, relutou, mas dei o melhor sorriso que pude e ficou decidido: iríamos à farmácia. E não, a farmácia daqui não fica plantão, o jeito é se esguelar embaixo da janela do farmacêutico, mas isso não é um problema, mãe faz de tudo para ajudar um filho.

Depois de tomar duas injeções fomos pra casa - no carro do farmacêutico (esta é uma vantagem de se morar em cidade pequena), adormeci rápido e acordei quase agora um pouco melhor.

Queria postar alguma coisa mais elaborada, mas me faltam forças, terminando aqui vou me deitar. Só lerei o post dos outros participantes amanhã, então até lá. Ah, a Vanessa publicou um excelente post que fala sobre o que é ser mãe aqui, não deixe de ler. E aqui você vê os links para os outros participantes.

E não, uma "mera" crise asmática não é - nem foi - desculpa para deixar minha mãe sem um bom beijo e abraço logo pela manhã, e ela também faz questão, mesmo correndo o risco de pegar gripe :P

Um beijo D. Teca. Que dia das mães estranho hein? Obrigado por tudo, abraços.


1 comentários:

Luciano A.Santos disse...

Antes do Intense Debate dar pau, em 18 de maio de 2009, aqui existiam 8 comentários.

Postar um comentário

Os comentários aqui publicados são de total responsabilidade de seu respectivo autor, e não representa, necessarimente, a opinião do blog Luciano A.Santos ,de seu autor, ou seus associados e/ou prestadores de serviços.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial.