3 mulheres: duas para se ouvir e uma para deixar pra lá



É muito bom ver que as pessoas crescem, e melhoram, principalmente quando você não ia lá muito com a cara delas, mas se surpreende quando vê no que se transformaram. De tudo o que estou ouvindo agora – e dá para perceber que estou mais pop que pipoca – tive duas surpresas agradáveis, e uma bem desagradável.

00-Macy_Gray_-_The_Sellout_(Advance)-2010-C4Ou muito me engano ou a primeira referência que vi de Macy Gray foi uma citação no primeiro episódio de Gilmore Girls – que eu assistia e, sim, tenho saudades – só para se ter ideia de como isso faz tempo. O hit naquele tempo era I Try, e, apesar de ter ouvido bastante nas rádios, não fui com a cara dele, e quase me esqueci de Macy. Até que, algumas semanas atrás, vi no site da Billboard uma notícia sobre o lançamento de seu novo álbum, The Sellout, e resolvi conferir. Nas 12 faixas, Macy mostra que cresceu, e me impressionou muito com Lately, Kissed  It (com a participação de Velvet Revolver), On & On e, principalmente, com a última faixa, The Comeback. Macy virou coisa fina.

FrontMinha melhor memória de Christina Aguilera se limitava a uma versão em espanhol de Come on Over, o que ilustra bem o porque de nunca ter gostado muito dela, ao menos até ver o clipe de Candyman – é uma boa música para ver e ouvir, só ouvindo é penosa. Claro que antes ouvi, muito Fighter e Beautiful, do álbum Stripped, mas parei por aí. Sabe-se lá porque, acabei entrando no site da cantora, e vi a capa de seu novo disco, que, nem preciso dizer, muito me agradou. Bionic, seu novo álbum, mostra como a maternidade e um tempo longe dos palcos fez bem a Aguilera. De todas as faixas, destaco as duas primeiras – que ela vem apresentando em suas aparições – Bionic e Not Myself Tonight, além de All I Need e I Am. Não posso afirmar, mas acho que a criança da faixa My Hearth é o filho dela. Como diria Marcelo Tas: não é um docinho de jacarandá?

Lady Gaga - The Fame Monster (Deluxe Edition)Já contei que não via nada de especial na Lady Gaga até passar uma noite com ela vendo uma apresentação sua no MTV VMA (assista o vídeo aqui). Depois disso passei a ouvir seu álbum, não dando muita bola para os olhares de meus irmãos. Até mesmo esperei com alguma ansiedade por The Fame: Monster, e assisti Telephone pelo menos umas 30 vezes. Até aqui tudo ia bem, mas foi só lançarem o clipe de Alejandro pra coisa desandar. Podia jurar que sua próxima música de trabalho seria Monster, e não entendi a jogada de se lançar a estranha Alejandro e seu clipe tosco. Se suas duas companheiras de post cresceram, Gaga retrocedeu muito em meu conceito. Ela já é apontada como a nova Madonna, como o novo sopro de esperança no mercado fonográfico, não precisa andar por aí engolindo terços e andando de calcinha estampada com uma cruz invertida bem no ponto X. Essa caiu.

Pois é, estou numa fase bem adolescentezinha, mas é só uma fase, logo passa. No mais, as coisas finalmente se acertaram. Em breve começo a leitura de A Viagem do Elefante, para a leitura coletiva proposta pela Vanessa e o James, clique nos links para saber como participar. Por enquanto é só.



8 comentários:

Marcelo Moraes disse...

Eu não me surpreendi com a Lady Gaga, aliás, nem faço esforço para tal, mas como ela está no auge da mídia, estes clipes são jogadas de marketing puros. As outras que citou também não acompanho, mas já vi alguns trabalhos da Christina A., inclusive ela já gravou um dueto com o Fonsi.

Eu aproveito as férias pra ficar fazendo estas análises também, bem ao estilo adolescente: deitado mas nem sempre olhando pro teto rss

Abraço.

Luciano A.Santos disse...

Marcelo,

É puro marketing mesmo, mas comigo não colou. E nem me fale de férias, vou ter que esperar até meados de agosto para desfrutar das minhas...

Abração.

Vanessa disse...

Ah, eu gosto da Lady Gaga ( pelo menos o meu lado adolescente) Não paro para ouvir durante o dia mas gostei daquele clip Telephone . :-) Começo a ler Caim esta noite, so help me God.

bj e bom domingo

Principe Encantado disse...

gosto da Lady Gaga e ouço suas músicas, mais não sou um admirador ferrenho, apenas mais uma.
Abraços forte

Luma Rosa disse...

Uau, como o tempo passa rápido!! Parece que foi ontem que Macy Gray se apresentou em São Paulo. Eu sorteei duas entradas no twitter, se lembra? Ela é diva do soul, ganhadora de grammy e tals, fez uma parceria bacana com Kaz James que mistura o groovy americano com som eletrônico que resultou em um estilo bastante dançante.
Deu para perceber que das cantoras que citou, gosto mais de Macy Gray e GaGa, já sabe que não gosto! Gostava dela antes de se tornar uma maluca montada pela mídia. Ela tocava um rock legal, agora tem que ser mostrar "muderninha" e sabe, assisti um vídeo bem tosco dela com o cantor que faz a abertura da atual turnê dela pela Europa. O cara é nojento e ela lambe ele todinho. Acho que ela não precisava disso, baixou nível geral.
Aguilera foi acusada de tentar imitar Lady GaGa neste ultimo trabalho e acho que por isso, ela mudou o visual que estampa o "Bionic", está com os cabelos longos, bem mais bonita. Das cantoras pop ela é uma das melhores e super original. Não acho que em algum momento pensou em imitar alguém. Aliás, ela é muito capaz e em breve vai estreiar um musical com Cher.
Boa semana! Beijus,

Luciano A.Santos disse...

Vanessa,

Eu não gostava, passei a gostar e agora estou desgostando. Coisas da vida, rsrs.

Beijo.

Luciano A.Santos disse...

Príncipe Encantado,

O que está me incomodando nela é a estética: não acho que precisava tanto. Mais um pouco e ela fica tal qual o Boy George.

Grande abraço.

Luciano A.Santos disse...

Luma,

É a atitude de GaGa que me incomoda também, acho que não precisava tanto. E as comparações Christina x GaGa existem mas não as entendo: até parece que GaGa é a pessoa mais original da galáxia (é só olhar Alejando, o clipe).

Das três, também fico com Macy. Disparado.

Bijo, e boa semana.

Postar um comentário

Os comentários aqui publicados são de total responsabilidade de seu respectivo autor, e não representa, necessarimente, a opinião do blog Luciano A.Santos ,de seu autor, ou seus associados e/ou prestadores de serviços.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial.