Heróis não deviam envelhecer



Este post eu publiquei originalmente no dia 1° de Outubro de 2008, em outro blog que eu tinha. Sinceramente não me lembrava de ter feito back-up das postagens de lá, então fiquei feliz ao topar por acidente com um arquivo contendo todas elas, então decidi repostar esta, que foi uma de minhas favoritas, além de achar interessante como mudei - ou aperfeiçoei - minha maneira de escrever em pouco mais de uma no.

____


Não, não deviam.

Nunca me dei bem com heróis que um dia envelheceram, talvez por que, sendo eles heróis, tenha imaginado que eram eternos, ou eternamente jovens, mas vê-los velhos não é fácil.

Minha primeira desilusão nesse sentido foi quando li O Menino Maluquinho, do Ziraldo. Como livro é perfeito, clássico absoluto, porém me deprimiu bastante o final, com o menino ficando adulto. Podem até dizer que esta é a ordem natural das coisas, mas e daí?

Pensem bem. Vocês achariam alguma graça num livro chamado "O Menino Maluquinho Agora Adulto", ou "O Ex-Menino Maluquinho", ou ainda "O Adulto Responsável pois Agora tem Família, mas que um dia já foi um Menino Maluquinho"? Eu não. A graça estava em ele ser um menino como eu (na época) e arteiro, mas ele foi crescer e me pôs em crise.

Mas o Ziraldo é fera nisso.Ele conseguiu me deprimir outras vezes, como em Flictz, não esqueço aquele final redentor "A Lua é flictz", ou para ilustrar melhor, com o também excelente "Uma Professora Muito Maluquinha". Quando este livro foi lançado eu devia ter uns dez  anos, mas só tive um exemplar em mãos aos  18 (e o li sem problemas, as obras de Ziraldo não têm idade). Ele é quase tão bom quanto O Menino Maluquinho, mas com um "fator deprimência" muito maior.Envelhcer a professora e seus alunos, e a recusa de um deles em vê-la na velhice mexeu comigo. Confesso que chorei. Ziraldo é foda e ponto. Se me perguntassem quem é o maior assassino de heróis da história diria sem pestanejar que é o Ziraldo.

No entanto, a culpa não é só do Ziraldo, então o problema não acaba aqui.

Me lembro do dia em que me abriram os olhos e me disseram que o Chaves não era criança. Pode parecer ridículo, mas eu, criança, acreditava que o Chaves era tão criança quanto eu. Minha mãe foi a responsável por eu saber a verdade. Não digo que ele tenha perdido totalmente seu brilho apartir daí, mas ele não suportou envelhecer tantos anos em tão pouco tempo, e caiu um degrau na minha preferência, ficando atrás de Chapolim.

Um outro exemplo clássico é Rambo. Rambo não devia envelhecer, afinal ele se embrenha na mata, vai ao Afeganistão, salva os inocentes e, de quebra, sutura os próprios ferimentos. Mas então vem o idiota do Stallone (que só foi perfeito uma vez na vida, em Rocky) e decide filmar Rambo IV. O filme até que é bom, tem uma boa dose de ação, mas o Rambo tá um caco: velho, acima do peso e desfigurado. Não que eu ligue para essas coisas, mas ele é um herói, e como tal deveria ser forte para que os cidadão indefesos se sintam protegidos. Pouco importa se usam uma cueca sobre a roupa, se forem fortes o suficiente nós, os indefesos,  nem vamos ligar.

E o Stallone não é idiota uma vez só, ele é grande demais pra isso. Antes de trucidar Rambo, ele ferrou Rocky. Justo Rocky, o lutador meio paspalho que conquistou o mundo e, até hoje influencia milhares de pessoas ao redor do mundo a praticarem boxe. Mais um herói "pro" saco.

Quem leu O Grande Mentecapto também deve ter sentido o envelhecimento de Viramundo, mas ao menos foi um envelhecimento simpático, e o tempo só fez aumentar suas qualidades, mas não escapou das garras do fim. Prefiro ele criança, parando um trem no peito.

Até mesmo o Super Homem morreu, ressuscitou e morrerá de novo conforme for a vontade da DC.

Dos meus heróis que restaram, temo por eles.

Pensando melhor, creio que o Ziraldo não é o maior assassino de herois que existe, ele ainda perde para o tempo, mas o tempo é um adversário hours concours, todos nós perderemos definitavemte para ele um dia.

De qualqer modo meus herois estão velhos. E eu? Eu que não sou heroi?


18 comentários:

leonel disse...

Bah, ler Ziraldo me deixou tão deprimido quanto tu. Lembro-me de que quando fizeram o filme do Menino Maluquinho, e, o final ia chegando (sim, pq eu o assisti incontáveis vezes) eu sempre saía de frente da tv! Recusava-me a ver o menino virar adulto. Mas, agora, analisando esses outros fatos que tu colocaste aí no texto, tb não culpo o Ziraldo. Nossos heróis devem ser aquilo que eles despertam na gente. Não digo que é para sair por aí, com um lençol amarrado no pescoço, pulando de um telhado (rsrs, eu tb já fiz isso, e, ganhei uns ossos quebrados, e, uma enorme bronca dos meus pais). Mas, o sentimento de pureza, força, e, fraternidade. Quando eu era guri eu pedia para ter superpoderes, tais como os heróis que eu via e lia nas revistas e desenhos animados da tv. Mas, aprendi com o tempo, que os verdadeiros superpoderes são esses adquiridos na educação. Isso é o que faz de nós, o maior dos heróis... não importa quanto tempo venha a passar.

Belo Post, amigo!

Abraço!

Marina disse...

Heróis são eternos, mesmo que envelheçam. Adorei o texto, Luciano.

Luciano A.Santos disse...

Leonel,

Também não curti o final do filme assim como o do livro.

Concordo quando diz que "os verdadeiros superpoderes são esses adquiridos na educação. Isso é o que faz de nós, o maior dos heróis... não importa quanto tempo venha a passar". Nem tenho argumentos, rs.

Luciano A.Santos disse...

Marina,

São mesmo eternos, mesmo que envelheçam um pouquinho e percam a forma :P

Abraços.

Luma Rosa disse...

Pior que o Ziraldo, só o Maurício de Souza!! Essa de turma da Mônica crescida, não engoli!

Ah, você engoliu algumas letras ao escrever o post! Algumas palavras faltando letras, vai ver! :D

Boa semana! Beijus,

Mauri Boffil disse...

Acho que herois tb são humanos...
Mega abraço

Luciano A.Santos disse...

Luma,

Putz!, engoli mesmo, to corrigindo, rsrs.

Beijo.

Luciano A.Santos disse...

Mauri,

Aí é que está o problema: Não deveriam ser humanos!!!!

Grande abraço.

Edvalter disse...

Quer coisa pior do que matarem e ter que ressuscitar o super-homem? Depois disso, tudo ficou possível. rsrsr. Valeu pelo post!

Luciano A.Santos disse...

Nem me fale Edvalter, isso foi, como diriam, o fim!

Abraço.

M. Nilza disse...

Oi, Luciano!

Os heróis são o que queremos deles né? Os do Cazuza não morreram de overdose? Então. Os meus serão eternos sim. Ex. Papi Noel pra mim é um herói das crianças - e será eterno enqaunto durar a infancia de cada um deles - que tbm poderá ser eterna..!! Divaguei.
Beijos

Cristiane Marino disse...

Heróis?! o que pensar deles? quantas ilusões criamos né...é tão complicado quando começamos a perceber que na verdade mtos desses heróis são de carne e osso e cheios de problemas como nós rs.
Grande beijo
Cris

Luciano A.Santos disse...

M. Nilza,

Não tinha encarado a situação por este ponto de vista, mas concordo com você: acabamos no sidentificando com heróis que correspondam, de uma forma ou de outra - ou ainda a uma finalidade, aos nossos anseios.

Grande abraço.

Luciano A.Santos disse...

Cris,

Eis aí o problema: quando cai a máscara, e com ela toda a força, vitalidade e invunerabilidade, ficamos meio que sem chão.

Beijo.

jamesp. disse...

Lindo post,como sempre,meu caro.Sempre imaginei meus heróis de infância crescidos.O que teria acontecido a Narizinho e Pedrinho?E a Mônica?dava para escrever muita coisa...(rs)
Abraços.

@philipsouza disse...

Eles eternizam para sempre ne...nunca poderiam mesmo envelhecer.......

abraçao

Luciano A.Santos disse...

James,

A Mônica cresceu e ficou bem "bunitinha", mas ainda não li nada da Turma da Mônica Jovem, então nada posso dizer. Boa lembrança a do pessoal do sítio, como será que estariam crescidos???

Abraço.

Luciano A.Santos disse...

@philipsouza,

Pois é, não deveriam mesmo, mas fazer o que, acontece, principalmente quando há uma vontade de mercado....

Postar um comentário

Os comentários aqui publicados são de total responsabilidade de seu respectivo autor, e não representa, necessarimente, a opinião do blog Luciano A.Santos ,de seu autor, ou seus associados e/ou prestadores de serviços.

Nenhum comentário aqui publicado sofre qualquer tipo de edição e/ou manipulação, porém o autor do blog se reserva o direito de excluir todo e qualquer comentário que apresente temática ofensiva, palavras de baixo calão, e qualquer tipo de preconceito e/ou discriminação racial.